jusbrasil.com.br
27 de Maio de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça do Mato Grosso TJ-MT - HABEAS CORPUS CRIMINAL: HC 1005660-14.2019.8.11.0000 MT

Tribunal de Justiça do Mato Grosso
há 3 anos
Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
Terceira Câmara Criminal
Publicação
11/06/2019
Julgamento
5 de Junho de 2019
Relator
RUI RAMOS RIBEIRO
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

“HABEAS CORPUS – ART. 217-A, C/C ARTIGO 14, INCISO II E 147 TODOS DO CÓDIGO PENAL E ARTIGO 306 DA LEI 9.503/97 – TENTATIVA DE FAZER COM QUE CRIANÇA REALIZASSE SEXO ORALPRISÃO PREVENTIVA – TESE DA AUSÊNCIA DE FUNDAMENTAÇÃO E INEXISTÊNCIA DE FLAGRÂNCIA (ART. 302 CPP)– IRRELEVÂNCIAPRISÃO PREVENTIVARISCO A ORDEM PÚBLICAUTILIDADE E NECESSIDADE NÃO EVIDENCIADOCONDIÇÕES PESSOAIS FAVORÁVEISVALORAÇÃOORDEM CONHECIDA E CONCEDIDA – LIBERDADE PROVISÓRIA EM FAVOR DO PACIENTE COM APLICAÇÃO DE MEDIDAS CAUTELARES.

O crime cuja prática é imputada ao paciente, estupro de vulnerável, permite o Decreto da prisão preventiva porquanto o máximo da pena privativa de liberdade que lhe é cominada é superior a quatro (4) anos de reclusão. Por outro lado, não há dados concretos capazes de afirmar a presença do periculum libertatis. Não se mostram presentes todos os pressupostos autorizadores da manutenção da segregação cautelar do paciente, o que enseja na concessão de liberdade provisória; porém, havendo a necessidade de controle estatal ao paciente é de se estabelecer medidas cautelares alternativas à prisão cautelar, sob pena de revogação e imediato retorno à prisão”.
Disponível em: https://tj-mt.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/839593010/habeas-corpus-criminal-hc-10056601420198110000-mt

Informações relacionadas

Tribunal de Justiça de Goiás
Jurisprudênciahá 4 anos

Tribunal de Justiça de Goiás TJ-GO - HABEAS-CORPUS: 0280573-25.2017.8.09.0000

Flavio Meirelles Medeiros, Advogado
Artigoshá 2 anos

Art. 319 CPP – Medidas cautelares não prisionais.