jusbrasil.com.br
22 de Maio de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça do Mato Grosso TJ-MT - Apelação: APL 0009520-84.2014.8.11.0042 MT

Tribunal de Justiça do Mato Grosso
há 4 anos
Detalhes da Jurisprudência
Órgão Julgador
TERCEIRA CÂMARA CRIMINAL
Publicação
12/11/2018
Julgamento
31 de Outubro de 2018
Relator
JUVENAL PEREIRA DA SILVA
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

RECURSO DE APELAÇÃO CRIMINALPENAL MILITARPECULATO-FURTO – ART. 303, § 2º DO CPMCONDENAÇÃOIRRESIGNAÇÃO – 1) PLEITO DE ABSOLVIÇÃO – IMPOSSIBILIDADEMATERIALIDADE E AUTORIA INCONTESTÁVEL – APELANTE QUE SUBTRAIU COMPUTADOR DA ACADEMEIA DE POLÍCIA NO PERÍODO NOTURNO QUANDO FAZIA A GUARDA DO LOCAL – CARACTERIZAÇÃO DO ART. 303, § 2º, DO CÓDIGO PENAL MILITAR – PROVAS TESTEMUNHAIS JUDICIAIS IRREFUTÁVEIS ACERCA DA RESPONSABILIDADE PENAL DO RÉU – CONDENAÇÃO MANTIDA – 2) PEDIDO DE AFASTAMENTO DA PERDA DO CARGO PÚBLICO – SENTENÇA CONDENATÓRIA QUE NÃO APLICA A EXCLUSÃO DO RÉU DA CORPORAÇÃO DA POLÍCIA MILITAR – MERA EXPEDIÇÃO DE OFÍCIO À PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA PARA EVENTUAIS PROVIDÊNCIAS – 3) DOSIMETRIA – NEGATIVAÇÃO DAS CONSEQUÊNCIAS DO CRIMERES FURTIVA NÃO RECUPERADAFATO INERENTE AO TIPO PENAL DE FURTOINIDONEIDADE DA FUNDAMENTAÇÃOEXCLUSÃO QUE SE IMPÕEPENA-BASE REDIMENSIONADA PARA O MÍNIMO LEGAL – 3.1) AGRAVANTE DA PRÁTICA DO CRIME ESTANDO EM SERVIÇO – ART. 70, INCISO II, L DO CPMAGRAVANTE QUE SE IMPÕE – RECURSO PARCIALMENTE PROVIDO.
1.

Provada a materialidade e a autoria delitiva a condenação é medida impositiva, porquanto, a sentença condenatória encontra-se amparada nas provas judicializadas nos autos, em especial por testemunhos que aponta a responsabilidade do réu, demonstrando que os objetos subtraído do local no dia em que o acusado era responsável pela sua guarda, foi encontrado perto de uma lixeira na frente da sua residência, o qual teria tentado ocultar as provas durante as buscas feita no local.
2. A ordem de expedição de oficio pelo juízo originário na sentença à Procuradoria-Geral de Justiça, acerca da condenação do apelante, não viola a competência deste Tribunal para o julgamento em relação a perda do cargo, não merecendo qualquer reparo a sentença nesse tocante, por não haver qualquer violação aos art. 125, § 4º da CF c/c 143 da Constituição Estadual.
3. Inviável a negativação da circunstância judicial das consequências do crime, ao argumento de que não foi recuperada na integralidade a res furtiva, porquanto trata-se de consumação do próprio crime de furto, nos termos do Enunciado Orientativo nº 15 da Turma de Câmaras Criminais Reunidas deste Tribunal.
3.1 O reconhecimento da agravante do artigo 70 inciso II, ‘L’ do CPM, deve ser mantido, porquanto comprovado que o réu praticou o delito no período noturno quando estava em serviço e era responsável pela guarda do local.
Disponível em: https://tj-mt.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/843084515/apelacao-apl-95208420148110042-mt

Informações relacionadas

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 3 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL: AgRg no REsp 1806231 MS 2019/0096838-1

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL: AREsp 1801991 RJ 2020/0327959-2

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 5 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - HABEAS CORPUS: HC 373375 RS 2016/0258424-0