jusbrasil.com.br
26 de Junho de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal de Justiça do Mato Grosso TJ-MT - RECURSO CÍVEL INOMINADO: 7278/2009 MT

Tribunal de Justiça do Mato Grosso
há 12 anos

Detalhes da Jurisprudência

Processo

7278/2009 MT

Órgão Julgador

1ª TURMA RECURSAL

Publicação

02/06/2010

Julgamento

26 de Maio de 2010

Relator

DIRCEU DOS SANTOS
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS - LEI MUNICIPAL QUE REGULAMENTA O TEMPO DE ESPERA EM FILA DE ATENDIMENTO BANCÁRIO - CONSUMIDOR QUE AGUARDA ATENDIMENTO POR TEMPO SUPERIOR AO PERMITIDO - SENTENÇA QUE CONCEDE O RESSARCIMENTO POR DANOS MORAIS - RECURSO DA INSTITUIÇÃO FINANCEIRA - INCONSTITUCIONALIDADE DA LEI MUNICIPAL - INOCORRÊNCIA - INTERESSE LOCAL - REGULAMENTAÇÃO DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS - REJEIÇÃO - ESPERA DEMASIADA EM FILA DE ATENDIMENTO BANCÁRIO - AFRONTA A DIGNIDADE DA PESSOA - DANOS MORAIS CONFIGURADOS - SENTENÇA MANTIDA - RECURSO CONHECIDO E IMPROVIDO.

1- Não é inconstitucional a Lei Municipal que fixa tempo máximo de espera nas filas dos bancos, já que apenas regulamenta a adequação e a eficácia da prestação dos serviços, o que é de interesse da localidade.
2 - A espera na fila de Banco por tempo superior ao permitido em lei não gera, por si só, o dever de indenizar. Contudo, a demora em demasia afronta a dignidade do consumidor, revelando desrespeito, descaso e falta de atenção, o que ultrapassa os umbrais do mero aborrecimento.
Disponível em: https://tj-mt.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/867777541/recurso-civel-inominado-72782009-mt